Atendimento de Segunda
a Sexta das 9h as 19h
(46) 3536-7272
Rua Inês Pinzon, 553
Dois Vizinhos - PR
BLOG

Osteopatia: entenda o que é e quais os seus benefícios

Autor: Dra. Maiara S. Pimentel,   Data Criação: quarta-feira, 27 de maio de 2020    

Na rotina diária, a dor, causada por diversos fatores diferentes, se tornou uma das queixas mais frequentes em qualquer área da saúde e a osteopatia pode ser uma grande aliada quando o assunto é amenizar essas dores.

A osteopatia é uma técnica de terapia manual que visa o equilíbrio do corpo como um todo, capaz de diagnosticar o problema que está incomodando o paciente, permitindo a abordagem de diversos desequilíbrios, harmonizando as estruturas do corpo humano.

A função do osteopata é tratar o paciente através de movimentos específicos como: estiramentos, mobilização e manipulação, restabelecendo as estruturas que estão bloqueadas ou em disfunção, eliminando assim, a determinada lesão.

A osteopatia é indicada para todos, desde sua forma preventiva até a sua forma curativa, podendo também, ser utilizada no tratamento de uma infinidade de doenças que costumam causar dores intensas e atrapalhar a rotina do dia-a-dia, tais como:

  • Dor que irradia ao longo do nervo ciático, que desce por uma ou ambas as pernas a partir da lombar (citalgia);
  • Dor na parte inferior da coluna (lombalgias);
  • Dor nas costas (dorsalgias);
  • Dor no pescoço e ombro (cervicalgias);
  • Escoliose (desalinhamento da coluna vertebral);
  • Hérnias de disco (resultado do desgaste dos discos intervertebrais, comprimindo as raízes nervosas que emergem da coluna, provocando dor intensa);
  • Torcicolos;
  • Refluxo;
  • Rotação de quadril.

Além do tratamento da causa da lesão, da correção das possíveis alterações que a lesão possa ter ocasionado e da prevenção de lesões, a osteopatia ainda pode trazer vários benefícios como a correção e melhora da postura, favorecimento da circulação e ajuda na melhora dos sistemas digestivo, linfático e imunológico.

Fonte: https://www.boaconsulta.com | https://vejario.abril.com.br | https://greenlifeacademias.com.br

Foto: info

  Tags: #fisioterapia #saúde #osteopatia  


Cuidar da estética é também zelar pela saúde

Autor: Francieli Nabhan,   Data Criação: quinta-feira, 21 de maio de 2020    

Você sabia que se preocupar com a estética e cuidar da aparência e do corpo interfere de forma significativa no bem-estar e na qualidade de vida? Isso mesmo!

Todo mundo sabe que estar de bem consigo mesmo é primordial para que possamos ter uma boa autoestima e, consequentemente, uma boa qualidade de vida. O fato é que cuidar da aparência e do corpo vai muito além da vaidade. É uma forma de cuidar de si e de se amar.

De acordo com especialistas, a insatisfação com a aparência pode trazer uma série de transtornos e impedir as pessoas de lidarem com problemas simples no dia-a-dia. A verdade é que estar confortável com você mesmo é essencial para ficar feliz com os outros e consigo.

Nesse sentindo a estética pode interferir de forma positiva, possibilitando que você faça as pazes com o seu corpo e promovendo bem-estar. Além disso, separei algumas dicas de hábitos que podem ajudar a melhorar a autoestima no dia-a-dia:

  • Pratique a aceitação do seu corpo – Lembre-se! Embora você possua defeitos, você também tem muitas qualidades. Portanto, procure reconhece-las e aceita-las.
  • Não se compare – Entenda que cada beleza é única e que você não precisa seguir padrões. Saiba identificar as suas próprias qualidades e valoriza-las.
  • Use recursos a seu favor – Roupas adequadas e até mesmo a própria maquiagem podem se tornar grandes aliadas na hora de valorizar aquilo que você mais gosta em si e ajudar a disfarçar aquilo que menos gosta.
  • Cuide da saúde do seu corpo – Os cuidados com a alimentação e as práticas de exercícios físicos são essenciais nesse quesito!
  • Sorria – Todos sabem que pessoas alegres são consideradas mais atraentes e é comprovado que ao sorrir você consegue melhorar o seu humor. Por isso, sorria mais em seu dia-a-dia e aprenda a descontrair.

Fonte: https://drogariasantoremedio.com.br

Foto: info

  Tags: #saúde #bemestar #estética  


Como lidar com a ansiedade em tempos de isolamento social?

Autor: Psicóloga Luciana A. Gorenstein,   Data Criação: quinta-feira, 07 de maio de 2020    

Por conta do isolamento social, os últimos dias não têm sido muito fáceis, não é mesmo? Muitas incertezas surgindo e poucas percepções sobre o futuro. Consequentemente, estamos vivenciando dias onde a ansiedade tem aumentado e influenciado de forma clara em nosso cotidiano. No entanto, aprender a lidar com isso da forma correta é essencial!

Antes de tudo, é muito importante ressaltar que é totalmente comum nos sentirmos mais ansiosos em momentos como esse. É aí que entra a importância de reconhecermos a diferença entre a ansiedade normal e a ansiedade patológica.

Ansiedade normal:

  • É vivenciada por todo ser humano;
  • Normalmente surge quando algo está para acontecer;
  • Pode tirar o sono momentaneamente e normalmente às vésperas do acontecimento;
  • De forma geral, não atrapalha a rotina do indivíduo.

Ansiedade patológica:

  • Ocorre sem precisar de um motivo específico;
  • Pode causar taquicardia, sudorese intensa, mal-estar, dores de cabeça, insônia constante e pensamentos intensos e repetitivos;
  • Impede o sujeito de viver a sua rotina normalmente;
  • Causa sentimentos como estresse, medo, tristeza e angústia.

Nesse sentido, é importante que saibamos como lidar com isso da melhor forma possível para não nos sentirmos tão mal e, para isso, existem alguns fatores que podem ajudar nesse processo:

  • Dedique um tempo para se entreter – Ocupe sua mente com coisas que você goste, mas que antes não tinha tanto tempo para fazer, como ler um bom livro, assistir filmes ou maratonar uma série;
  • Crie uma rotina de horários – Busque acordar no mesmo horário, realizar todas as refeições de costume e se você trabalha, procure se desligar do trabalho após o expediente;
  • Pratique atividades físicas – Elas liberam energia e reduzem a ansiedade;
  • Converse com a família e amigos – O isolamento social nos levou a ficarmos distantes nesse período, mas mantermos o contato com as pessoas, mesmo de longe, é essencial. Procure fazer ligações, conversar por aplicativo e videochamada com pessoas que você ama. Manter contato nos faz sentir menos sozinhos.

E não esqueça! Se sentir necessidade, não hesite, procure auxílio psicológico. Vamos passar por isso juntos!

Fonte: https://www.vittude.com

Foto: info

  Tags: #psicologia #ansiedade #isolamentosocial  


Saúde bucal em tempos de coronavírus

Autor: Dr. Robson Michael Tecchio,   Data Criação: quinta-feira, 30 de abril de 2020    

A pandemia do Covid-19 trouxe grandes mudanças para o dia-a-dia de todos e, entre essas mudanças estão, por exemplo, os hábitos de higiene que foram redobrados e as devidas medidas de prevenção que foram adotadas para a segurança à saúde de todos.

Nesse sentido, não podemos deixar de falar sobre a importância de estarmos atentos também aos cuidados à saúde bucal. Tais cuidados que já devem ser inclusos na sua rotina, mas que em virtude do cenário atual que estamos vivenciando, devem ser reforçados no cotidiano. Portanto, fique atento!

  • Não compartilhe objetos pessoais – É essencial lembrar que uma das formas de contágio do novo coronavírus ocorre pela disseminação de gotículas de saliva. Por isso, se alguém na casa apresentar os sintomas ou suspeita de infecção, o uso de pasta de dente, sabonete e toalha de rosto deve ser individualizado e deve-se evitar deixar as escovas de dente no mesmo ambiente.
  • Lave as mãos frequentemente – Não esqueça de lavar as mãos frequentemente até a metade do pulso e entre os dedos, por no mínimo 20 segundos, inclusive antes de escovar os dentes.
  • Evite colocar a mão na boca – Diariamente, nossas mãos estão em contato com várias superfícies, que podem estar contaminados e redobre os cuidados com a limpeza das superfícies e dos objetos pessoais.

É importante ressaltar também que os consultórios odontológicos devem seguir rigorosamente as medidas de biossegurança, para restringir os riscos de infecção da população e dos profissionais de saúde bucal.

Fonte: https://saude.abril.com.br/

Foto: info

  Tags: #odontologia #saúdebucal #coronavírus  


Vacina da gripe: quem deve tomar na segunda fase da campanha de 2020?

Autor: Dr. Dib Mohamad Nabhan Jr,   Data Criação: sexta-feira, 24 de abril de 2020    

A segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começou no dia 16 de abril e segue até o dia 8 de maio. Na primeira etapa, iniciada no dia 23 de março, somente pessoas com mais de 60 anos e profissionais de saúde poderiam receber a vacina contra o vírus influenza. Agora o público-alvo se estende para:

  • Caminhoneiros e profissionais de transporte coletivos (motoristas e cobradores) e portuários;
  • Indígenas;
  • Doentes crônicos;
  • Profissionais das forças de segurança e salvamento;
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema prisional.

No total, são mais de 15,6 milhões de brasileiros que podem se beneficiar da segunda fase da campanha. A principal mudança ficou por conta da inclusão dos caminhoneiros e profissionais de transporte coletivo e a dos povos indígenas.

Neste ano, o Ministério da saúde mudou o início da campanha, de abril para março, a fim de proteger de forma antecipada os grupos prioritários contra os vírus mais comuns da gripe. Devido ao Covid-19, cada estado tem buscado estratégias para diminuir a concentração de pessoas, em especial nos serviços da saúde.

É importante lembrar que essa vacina não protege contra o novo coronavírus, porém pode auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico da gripe, já que os sintomas são muito parecidos, além de ajudar a reduzir a procura por serviços de saúde.

Até o momento, 90,66% dos idosos receberam sua dose – são 18,9 milhões de brasileiros acima dos 60 anos já imunizados. Também tomaram a vacina na rede pública 3,8 milhões de trabalhadores da saúde (75,5% desse grupo).

A meta do governo é a de que ao menos 90% de cada público-alvo busque a injeção. Aliás os mais velhos e os profissionais de saúde que seguem sem proteção contra a gripe podem ir atrás da vacina na segunda ou até mesmo na terceira fase da campanha.

A terceira fase da campanha terá início no dia 9 de maio e os públicos prioritários são:

  • Pessoas com deficiência;
  • Professores;
  • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;
  • Gestantes;
  • Mães no pós-parto até 45 dias;
  • Pessoas de 55 anos a 59 anos de idade.

Fonte: https://www.saude.gov.br

Foto: info

  Tags: #medicina #saúde #campanhadevacinação #vacina  


BB Glow: conheça a nova técnica de beleza coreana

Autor: Francieli Nabhan,   Data Criação: quinta-feira, 16 de abril de 2020    

Já imaginou acordar todos os dias com uma pele perfeita, uniforme, livre de manchas e com aquele efeito de porcelana? Parece muito bom para ser verdade, não é?

Saiba que além de ser verdade é rápido, simples e ainda garante muitos benefícios, pois estamos falando do BB Glow!

O BB Glow é um tratamento que tem como objetivo revitalizar a pele, tratando olheiras, envelhecimento, melasma, rugas finas, manchas de sol, poros dilatados e cicatrizes, uniformizando o tom, promovendo uma hidratação profunda e deixando a pele com um lindo efeito BB Cream.

O processo é rápido e proporciona resultados satisfatórios. A técnica coreana consiste na introdução de pigmentos na pele através de um método não invasivo e indolor, com microagulhamento de nano agulhas em conjunto de produtos que contam com ativos ricos em vitaminas e pigmentos, com agentes importados da coreia.

Incrível, né? Mas calma que as vantagens ainda não acabam por aqui. O tratamento ainda traz benefícios, como:

  • Estimula a produção de colágeno;
  • Reduz as sardas e manchas ocasionadas por acne;
  • Reduz a descoloração da pele;
  • Diminui a oleosidade da pele.

É importante ressaltar também, a importância do profissional com experiência, fazendo movimentos precisos e buscando a maior naturalidade possível. É indispensável o cuidado para com a segurança em cada etapa do BB Glow!

Foto: info

  Tags: #bbglow  


Pilates: conheça os principais benefícios

Autor: Dra. Maiara S. Pimentel,   Data Criação: quinta-feira, 09 de abril de 2020    

O Pilates é um tipo de atividade física que busca o controle dos músculos do corpo e fortalece a musculatura, além de trazer muito mais flexibilidade. O método surgiu no início de século passado e tem como objetivo unir o corpo e a mente.  É uma modalidade que é capaz de oferecer inúmeros benefícios ao praticante, tudo isso promovendo uma maior consciência corporal.

Vale ressaltar que ele não é um conjunto de exercícios prontos e generalizados. Ele consiste em observar a particularidade de cada aluno e adaptar os exercícios de acordo com a necessidade de cada um.

Bem, que o Pilates é uma ótima opção de exercício físico você já sabe, e que ele traz grandes benefícios, você já sabe também. No entanto, hoje trouxemos alguns benefícios que talvez você nem imaginaria que essa prática poderia trazer. Confere aí!

  • Aumenta a resistência física e mental;
  • Aumenta a flexibilidade;
  • Auxilia a corrigir problemas posturais;
  • Aumenta a concentração;
  • Melhora a coordenação motora;
  • Auxilia no alívio de dores musculares;
  • Melhora a respiração;
  • Auxilia na prevenção da osteoporose;
  • Promove relaxamento, ajudando no combate ao estresse e elevando a autoestima;
  • Auxilia na prevenção de lesões;
  • Elimina toxinas e facilita a drenagem linfática;
  • Melhora a resistência muscular;
  • Expande a consciência corporal;
  • Ajuda no controle de peso.

Incrível, não é mesmo? E o melhor é que essa prática pode ser utilizada para os mais diversos objetivos e trazer vantagens aos mais diversos grupos, como homens, mulheres, gestantes, idosos e crianças, promovendo não somente o bem-estar físico, mas também mental, melhorando significativamente a qualidade de vida.

Fonte: https://www.minhavida.com.br | https://blogpilates.com.br

Foto: info

  Tags: #fisioterapia #pilates  


7 de abril – Dia Mundial da Saúde

Autor: Dr. Dib Mohamad Nabhan Jr,   Data Criação: terça-feira, 07 de abril de 2020    

No dia 7 de abril, comemora-se o Dia Mundial da Saúde. A data foi criada pela Organização Mundial da Saúde em 1948 a fim de pontuar algumas questões importantes relacionadas à saúde e estimular a conscientização sobre esse tema, sugerindo políticas voltadas ao bem-estar da população. Por isso, diversas ações são realizadas na data, com o objetivo de instruir a população aos cuidados necessários com a saúde e informa-los sobre seus direitos.

A cada ano, é abordado um tema diferente, e esses temas se relacionam com alguns dos principais problemas que afetam a população em geral. Entre algumas das campanhas anteriores estão: “Salvar vidas: hospitais seguros em situações de emergência” (2009); “Hipertensão: conheça seus números” (2013); “Do campo à mesa, obtendo alimentos seguros” (2015); “Vamos conversar” (lema de 2017 que teve como mote a depressão); e “Saúde universal: para todos e todas, em todos os lugares” (2019). Este ano de 2020, é o ano internacional das (os) profissionais de enfermagem e obstetrícia, reconhecendo “sua experiência e compromisso especiais”.

Algo muito importante a ser destacado nessa data é a verdadeira definição de saúde. Muitos acham que ter saúde significa não ter enfermidades, porém é muito mais do que apenas isso. Ter saúde envolvem diversos aspectos diferentes, tais como qualidade de vida e aspectos mentais e físicos. A saúde é uma forma de bem-estar total, com harmonia entre vários fatores e preservação da qualidade de vida.

Por fim, é importante recordarmos que essa data está sendo marcada em um ano particularmente difícil para todos e que devemos os mais sinceros agradecimentos aos profissionais de saúde. Com esse objetivo, o secretário das Nações Unidas, António Guterres, prestou uma homenagem em a todos os profissionais de saúde que trabalham dia e noite para nos manter seguros.

Confira aqui o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=crpOPpaIw9s

Fonte: https://nacoesunidas.org/ | https://brasilescola.uol.com.br/

Foto: info

  Tags: #07deabril #diamundialdasaúde  


Coronavírus: o que você precisa saber e fazer

Autor: Dr. Dib Mohamad Nabhan Jr,   Data Criação: quarta-feira, 18 de março de 2020    

O COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo mais recente agente descoberto da família de vírus, chamada coronavírus. Os primeiros casos foram registrados em Wuhan na China e se espalharam pelo mundo todo em um curto período de tempo.

As infecções por coronavírus podem causar doenças respiratórias, semelhantes a um resfriado comum até síndromes respiratórias agudas severas. Os sintomas do Covid-19 geralmente envolvem febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ser assintomáticos, ou seja, estarem infectados pelo vírus, mas não apresentarem sintomas.

A transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão e contato com superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

No momento, não há medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção. E com o avanço do novo coronavírus no mundo todo, inclusive no Brasil, o Ministério da Saúde anunciou recomendações que a população em geral deve adotar de agora em diante. O objetivo é evitar um crescimento acelerado do ritmo de casos confirmados.

Fique atento às medidas de prevenção necessárias, como:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos e fazer o uso do álcool em gel;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas infectadas;
  • Ficar em casa se estiver doente;
  • Usar um lenço descartável para cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar copos, talheres e objetos de uso pessoal;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência;
  • Manter ambientes bem ventilados e higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Sempre que possível, permanecer em casa e evitar aglomerações.

Lembre-se, sua ação é a melhor prevenção!

  Tags: #medicina #coronavirus  


Arteterapia contra o estresse e as dores de cabeça

Autor: Psicóloga Luciana A. Gorenstein,   Data Criação: sexta-feira, 13 de março de 2020    

Marcada por incertezas e mudanças, a adolescência costuma ser um período bastante turbulento da vida. Foi justamente esse o motivo que levou a enfermeira Elin Björling, da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, a avaliar o poder terapêutico da arte num grupo de oito meninas.

“Durante três semanas, elas participavam de sessões e recebiam tarefas com tintas, aquarelas e giz de cera, em que precisavam prestar atenção em seus sentimentos”, relata a cientista. Ao longo do experimento, houve uma queda geral nos níveis de nervosismo e nos episódios de dor de cabeça.

A própria autora admite que a pesquisa é pequena e precisa ser replicada com mais voluntários, mas aponta caminhos interessantes sobre o uso da ferramenta nos consultórios.

A arteterapia começou a se popularizar no início do século 20 graças ao esforço de uma brasileira: a médica Nise da Silveira (1905-1999) estimulava pacientes com doenças psiquiátricas internados num hospital do Rio de Janeiro a pintarem quadros. As obras foram exibidas em várias partes do mundo e viraram símbolo do movimento de humanização de sanatórios e manicômios.

A diferença da arteterapia para um hobby artístico está no apoio de um profissional que acompanha o processo:

  • Aprendizado: desenhos e pinturas são um modo de sedimentar conceitos e teorias ensinados na sala de aula;
  • Autoconhecimento: a arte é um meio valioso para extravasar os sentimentos e notar aflições e incômodos até então ignorados;
  • Reabilitação: trabalhar com atividades manuais e artesanato auxilia na recuperação de um acidente vascular cerebral.

Fonte: https://saude.abril.com.br/

Foto: info

 

  Tags: #psicologia #arteterapia  


Tire suas dúvidas sobre o uso do fio dental

Autor: Dr. Robson Michael Tecchio,   Data Criação: sexta-feira, 06 de março de 2020    

Quando falamos em manter uma boa higiene bucal, a escovação é o primeiro passo que vem à cabeça. Apesar de esse hábito ser de extrema importância, não é a única atitude esperada para conservar um sorriso saudável. Outra medida básica é o uso do fio dental.

Segundo pesquisa realizada em 2016 pelo Datafolha a pedido do Conselho Federal de Odontologia (CFO), 57% dos brasileiros utilizam fio dental. Destes, apenas 30% recorrem a ele mais de uma vez ao dia.

Ainda grande parte da população negligencia o cuidado, por vezes sem ter a clareza que a falta dessa ação pode propiciar de uma simples cárie até mesmo doenças periodontais — que afetam a gengiva e o tecido de sustentação dos dentes.

O fato é que muitas dúvidas chegam aos consultórios odontológicos sobre como usar o fio dental.

O fio dental deve ser usado em toda escovação?

O fio tem a função de alcançar o espaço entre os dentes aonde nenhuma escova é capaz de chegar. Portanto, pode-se dizer que a higiene bucal só fica completa com a sua utilização. Escolher não usar o fio dental em uma ou outra sessão de higiene é escolher deixar sujas algumas partes dos dentes. Assim, o ideal é que ele seja empregado após cada refeição. No entanto, utilizá-lo ao menos uma vez ao dia já melhora (e muito!) a higiene bucal, de preferência antes de dormir, após a última refeição.

Qual é a maneira correta de usar o fio dental?

A pessoa deve colocar o fio com cuidado no espaço entre os dentes para que ele deslize em toda sua superfície lateral, inclusive na parte que é coberta pela borda da gengiva, fazendo leve pressão para que o atrito promova a remoção mecânica da placa bacteriana.  

É melhor passar o fio antes ou depois de escovar os dentes?

No geral não faz diferença, a preferência pessoal é que manda. Porém, estudos recentes mostram que o ideal é que o fio seja utilizado antes da escovação.

Crianças também devem usar?

É aconselhado que o fio dental seja inserido na rotina de higiene bucal de crianças, sendo aplicado pelos próprios pais ou cuidadores até que o pequeno desenvolva coordenação motora e habilidade manual para realizar o procedimento sozinho.

Quem tem prótese pode usar o fio?

O uso do fio dental também é importante para pessoas que têm próteses fixas. A única mudança é o método: como os dentes da prótese são unidos, é necessário usar acessórios específicos, como os passadores de fio, que são pequenas agulhas plásticas que permitem que o fio dental seja passado por baixo da prótese. Escovas interdentais também são úteis nessas situações.

E quem tem aparelho fixo?

Indivíduos com aparelhos fixos também podem utilizar ferramentas como o passa-fio e a escova interdental para auxiliar na higiene bucal. A escova pode ser um aliado muito útil, já que ela também alcança a linha da gengiva, complementando a limpeza com o fio.

Fonte: https://saude.abril.com.br/

Foto: info

 

  Tags: #Odontologia #FioDental  


Aumento de viroses em altas temperaturas: por que isso ocorre e como prevenir?

Autor: Dr. Dib Mohamad Nabhan Jr,   Data Criação: quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020    

O verão é certamente uma das estações mais queridas do ano, porém acaba se tornando um período propício para o ataque de alguns vírus. No post de hoje, vamos entender porque isso acontece e conhecer algumas formas de prevenção.

A virose é uma infecção causada por diversos tipos de vírus que afetam o sistema imunológico do paciente e as mais comuns em períodos de altas temperaturas são as viroses gastrointestinais.

Uma das causas do porque isso acontece pode se dar pelo fato de que em dias mais quentes, as pessoas ficam menos em casa, saem passear, visitam diversos lugares diferentes, fazem refeições em restaurantes e entram em contato com várias superfícies, elevando o risco de contaminação.

Os vírus mais comuns que causam a virose gastrointestinal são o Rotavírus e o Norovírus. Os sintomas de ambos são bem parecidos, causando diarreia, vômito, dores no corpo, dores abdominais e, em muitos casos, febre.

A transmissão pode ser feita através da ingestão de alimentos ou água contaminados e também por meios aquáticos, como o mar e piscinas, pois muitos liberam secreções na água e basta alguém engolir um pouquinho dessa água para se contaminar. Pode-se também ser feita através de mãos contaminadas, isso porque fezes e vômitos de pacientes com o vírus possuem um alto grau de contaminação e se não feita uma higiene adequada após cada evacuação, pode-se contaminar objetos e superfícies.

O melhor caminho para reduzir os riscos de contaminação é a prevenção! Para isso, confira algumas dicas:

  • Lave sempre as mãos, principalmente após usar o banheiro e antes de comer;
  • Use o álcool em gel sempre que possível;
  • Nunca coce a boca, nariz e olhos com a mão suja;
  • Evite comidas que se decomponham facilmente em altas temperaturas, como maioneses, gorduras e frituras.
  • Não beba água ou compre alimentos sem saber a sua procedência;
  • Beba água mineral ou previamente fervida.

Com esses cuidados, você diminui os riscos de ficar doente e aproveita o verão da melhor forma possível!

Fonte: https://www.digest.med.br | https://saude.abril.com.br

Foto: info

  Tags: #Medicina #Viroses  


Massagem para tratar a dor

Autor: Dra. Maiara S. Pimentel,   Data Criação: quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020    

Boa parte da população mundial sofre com dores. Sentir dor é um alerta natural, um aviso de que algo não vai bem no nosso corpo. Em algumas situações, porém, essa manifestação se torna persistente, comprometendo a qualidade de vida. De forma resumida, podemos dizer que a dor aguda, consequência de um trauma ou doença, é aquela que dura menos de três meses. Quando o sintoma supera esse tempo transforma-se em dor crônica. Aí, a dor deixa de ser sinal e vira, ela mesma, problema, prejudicando o trabalho, as atividades diárias, a independência e a vida familiar e afetiva.

Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, traz dados alarmantes sobre a situação em nosso país. Ela indica que 37% da população sofre de dor crônica. As dores mais recorrentes aqui são nas costas (as lombalgias), de cabeça e aquela relacionada ao câncer.

Em meio a esse cenário, em que muitas pessoas ficam desassistidas, existe a possibilidade de explorarmos ainda mais o potencial das chamadas práticas integrativas e complementares a fim de controlar ou minimizar as dores. Falamos de técnicas que visam reequilibrar corpo e mente do indivíduo, suavizar sintomas e devolver qualidade de vida.

No contexto da dor, vamos citar aqui os efeitos e as aplicações da massagem terapêutica, que pode ser definida como a manipulação manual dos tecidos moles do corpo para aprimorar a saúde e o bem-estar em geral. A massagem terapêutica não deve ser confundida com uma massagem relaxante comum.

Existem pesquisas com essa terapia em pelo menos seis tipos de dor:

  • Dor lombar: o desconforto nas costas é a queixa mais comum da população. Já existem evidências de que a massagem terapêutica não só diminui a dor no local, mas também reduz a incapacidade decorrente dela e alivia a ansiedade e a depressão entre quem tem o problema.
  • Fibromialgia: trabalhos científicos indicam que a terapia com massagem pode integrar o tratamento dessa síndrome, marcada por dores espalhadas pelo corpo. Além de reduzir a dor em si, observa-se a diminuição de fadiga e rigidez, bem como ganhos ao bem-estar mental.
  • Dor pós-operatória: esse tipo de incômodo após uma cirurgia pode complicar a recuperação, prolongar a permanência no hospital e ainda interferir no retorno do paciente às atividades do cotidiano. Já temos bons indícios de que a massagem terapêutica diminui a intensidade e a frequência da dor nessas circunstâncias.
  • Dor de cabeça: a massagem se destina particularmente às dores do tipo tensional. Estudos revelam que essa abordagem minimiza a percepção, a frequência, a duração e a intensidade da dor.
  • Artrite e artrose: pesquisas apontam que sessões de uma hora de massagem sueca (uma das variações da massagem terapêutica) uma vez por semana trazem melhoras significativas a pessoas com o desgaste no joelho. A massagem melhora a mobilidade e a dor nos membros.
  • Dor no câncer: a massagem terapêutica é vista de forma promissora no controle da dor, da fadiga e da ansiedade em pessoas com câncer.

Dentro do conceito atual de tratar de forma cada vez mais integrada o paciente, devemos prestar atenção nas descobertas da ciência e pensar em alocar melhor recursos tendo em vista o bem-estar do indivíduo. Nesse sentido, a manipulação do corpo, em paralelo a um trabalho com as condições emocionais, soma pontos valiosos à recuperação e à manutenção da qualidade de vida.

Fonte: https://saude.abril.com.br/

Foto: info

  Tags: #Fisioterapia #Massagem #Dor  


Como treinar o cérebro para ser mais otimista (e saudável)

Autor: Psicóloga Luciana A. Gorenstein,   Data Criação: quarta-feira, 05 de fevereiro de 2020    

Pessoas pessimistas, ansiosas e neuróticas tendem a ter circuitos neurais repetitivos no cérebro. É como se a cabeça não conseguisse descartar informações desnecessárias e ficasse remoendo uma ou outra situação. Mas tenho uma boa notícia: dá para treinar o cérebro para nos tornarmos mais otimistas e calmos.

Antes de dar algumas dicas nesse sentido, é importante reforçar que buscar uma vida mais leve melhora o seu bem-estar e o de quem convive com você. Estudos científicos sugerem que os pessimistas vivem, em média, sete anos e meio a menos do que os otimistas. É um bom motivo para mudar de atitude, não?

O que acontece no cérebro influencia diretamente no corpo. Diante de um problema de saúde, por exemplo, cultivar as emoções positivas pode reforçar o sistema imunológico e combater a depressão.

Várias pesquisas mostraram uma ligação indiscutível entre uma visão de mundo otimista e benefícios para a saúde, como pressão sanguínea mais baixa, melhor controle do peso e níveis adequados de açúcar no sangue. Mesmo diante de uma doença fisicamente incurável, sentimentos e pensamentos positivos aprimoram a qualidade de vida.

Isso não significa que todo mundo precisa estar sempre otimista para ser saudável e feliz. Naturalmente, existem momentos e situações que desencadeiam sentimentos negativos mesmo na pessoa mais esperançosa do mundo. Medo, preocupação, tristeza e raiva fatalmente irão aparecer na vida de qualquer um. Quem rejeita completamente esses pensamentos também acaba fazendo um mal para si mesmo.

A questão, portanto, é não olhar só para o lado ruim das coisas. Embora algumas pessoas tenham uma tendência para o pessimismo, o cérebro consegue criar novas células e sinapses, trilhando novos caminhos. É possível treinar esses circuitos para ser mais otimista.

Ou seja, você pode aprender a ver as coisas de maneira mais positiva com algumas práticas que promovem o otimismo. Confira a lista de dicas que vão nesse sentido:

  • Coloque um sorriso no rosto e reconheça um lado ou um evento positivo na sua vida todos os dias;
  • Pense sobre o momento positivo desse dia e o registre na sua mente;
  • Agradeça sempre. Isso não tem a ver com religião, mas com a força de um bom pensamento;
  • Identifique uma qualidade pessoal sua e perceba como faz uso dela;
  • Estabeleça objetivos alcançáveis e avalie sempre o seu progresso;
  • Pratique atos de gentileza diariamente, por menores que sejam. O bem atrai o bem;
  • Preste atenção em você mesmo e se concentre no aqui e no agora, ao invés de se ligar ao passado ou ao futuro;
  • Medite. Ao se concentrar por 10 a 20 minutos, o corpo se acalma e nós prestamos mais atenção no que acontece conosco e com o nosso entorno. Deixe os pensamentos irem e virem na mente e sem ficar remoendo cada um.

Fonte: https://saude.abril.com.br/

Foto: info

 

  Tags: #psicologia #saudemental #otimismo #saudavel  


Camuflagem de estrias: dê adeus às marquinhas indesejadas

Autor: Francieli Nabhan,   Data Criação: sexta-feira, 31 de janeiro de 2020    

As estrias são um tipo de cicatriz, que ocorrem devido ao rompimento das fibras que sustentam a pele, e uma vez que essas fibras se rompem, não se regeneram mais. A causa pode se dar por vários fatores, como ganho de peso, gestação, genética e musculação. Elas são indolores e se concentram principalmente em regiões com maior concentração de gordura, como barriga, bumbum, seios, coxas e quadris.

Essas pequenas marquinhas podem muitas vezes ser motivo de incomodo para muitas pessoas, e se engana quem pensa que não existe solução para elas. Saiba que com o avanço da tecnologia estética, é possível ter uma pele do jeito que você sempre quis.

E como isso é possível? Uma das grandes soluções para isso são as inovadoras tatuagens estéticas, um processo de dermopigmentação, que funciona de forma semelhante à tatuagem convencional, porém, na camuflagem de estrias apenas uma camada superficial da pele é atingida, pintando as marcas o mais próximo possível da coloração da pele.

É um processo simples, rápido e que não causa grandes incômodos. O desconforto que há durante a aplicação pode ser amenizado com a aplicação de um anestésico e o resultado impressiona logo na primeira sessão. A camuflagem pode ser realizada em estrias, e também, outros tipos de manchas. E até mesmo quem não tem estrias ou não se importa com as marquinhas, fica impressionado com o resultado da técnica.

Por fim, assim como a tatuagem comum, o resultado duradouro é totalmente garantido, sem risco que a camuflagem mude de cor e sem problemas em se expor ao sol. Entretanto, é de extrema importância conferir a qualificação do profissional que irá realizar a técnica, para a segurança de um ótimo resultado.

Fonte: https://veja.abril.com.br | https://emais.estadao.com.br

Foto: info

  Tags: #Estrias #CamuflagemdeEstrias  


© Copyright 2020 HARMONY
Todos os direitos reservados
Desenvolvido por
Grupo Mar Virtual